segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

O Reverendo e o Amor

Quando peguei o jornal hoje de manhã mal sabia que ia encontrar a declaração de amor tão linda.

Várias fotos e matérias noticiavam a morte de um Reverendo aqui da cidade, e entre informações sobre o mesmo, estava uma obra de sua autoria feita para sua esposa Iracema .

Depois de ler confesso que fiquei impressionada, e pensando em como seria viver com alguém que mesmo na velhice escrevesse aquilo tudo para mim, e sentisse o mesmo amor desde sempre.



Segue então, tal obra tão linda e tão sincera:



"Até que a morte nos separe (Para Iracema)

Eu e você vivemos e lutamos,
Construímos um mundo que é só nosso Jardim florido de tempo e contratempo
Em que as rosas começam a dar botões


Unidas em todos os momentos
Separadas naquilo que nós somos
Somos um livro composto em dois tornos
Cada qual com seu próprio equipamento


"Até que a morte nos separe"
Que saudade deste terno compromisso
Que se esfacela e se apaga como vela
Ao calor das histéricas emoções


Que se explodem nos ritmo das canções
Desconexas, sem estéticas, frenéticas.

A que se anexa o rumor da bateria
O acorde estridente da guitarra,
A que se agarra.

A juventude em epiléticas convulsões

Nem por isso demos ouvido
Ao poluído fim do século em estertor

De mãos dadas fitando o infinito,
Na firmeza de uma torre de granito

Marchamos inevitáveis para a morte
Que num só corte separa nossas mãos
Sem contudo separar o nosso amor."


Reverendo José Rodrigues Cordeiro
São João da Boa Vista 10/05/1992

3 comentários:

alma na garganta disse...

amor assim é coisa de filme, mas bom saber q já existiu e deve ter por aí algumas raras amostras...
q tenhamos essa sorte, Luengo Maria... rs
acho q o sambinha vai ajudar a gente... rsrs

bjao.

alma na garganta disse...

e como ja disse Adoniran

'Iracema, meu gde amor foi vc...'

uhhhuuuullll

Tom e Vinicius q se segurem...

kkkkkkk

só vc pra me fazer rir mesmo Luenguinha... rs

Glauberito disse...

acho que nada nesse mundo vai me fazer deixar de acreditar no Amor...
...acho não , tenho certeza !!
Descobrir e conhecer é o que faz o Amor real , deixar de acreditar é perder o brilho.

=***************